Como desenvolver a inteligência emocional no trabalho?

Muitas pessoas ainda não sabem como desenvolver a inteligência emocional pode trazer benefícios para o seu ambiente de trabalho. Todos os dias é lançada uma nova tecnologia. Segundo pesquisa da PwC, diversos postos de trabalho deixarão de existir até 2030 para serem ocupados por máquinas.

A Inteligência Artificial está automatizando muitas tarefas operacionais do nosso cotidiano. Você com certeza já interagiu com algum robô nos últimos meses se precisou utilizar um serviço de atendimento virtual.

Mas a interação entre máquina e humano nunca terá uma característica, que é justamente a emoção. Ela é privilégio apenas das interações entre humanos.

Em contrapartida à automatização de tarefas, o uso intencional e consciente das emoções está se tornando cada vez mais importante. Especialmente na manutenção de um bom ambiente de trabalho e sucesso profissional.

Foi realizada uma pesquisa com mais de 300.000 profissionais sobre as principais competências relacionadas a uma liderança de sucesso. Conduzido por Jack Zenger e Joseph Folkman, o relatório apontou que 6 das 8 competências que valorizaram líderes estavam relacionadas a desenvolver a inteligência emocional.

  • #1 – Inspira e motiva os outros
  • #2 – Integridade e Honestidade
  • #4 – Foco em resultado
  • #5 – Comunica com clareza e assertividade
  • #6 – Colabora e promove integração
  • #7 Constroem relacionamentos saudáveis .

O que é inteligência emocional?

Segundo os pesquisadores Salovey & Mayer,

Inteligência Emocional é a capacidade de uma pessoa monitorar e discriminar seus próprios sentimentos e emoções. Assim como os de outras pessoas, e usar esta informação para guiar o seu próprio pensamento e ação.”

O livro que popularizou o conceito e o uso da Inteligência Emocional foi escrito pelo jornalista Daniel Goleman. Nele, o autor que classifica o tema em cinco principais domínios:

#1 Autoconsciência: quando você é capaz de identificar seus estados internos de preferência, recursos e intuições. A autoconsciência é você ser capaz de observar os seus pensamentos, emoções e nomeá-las, sem julgamento

#2 Autogestão: é ser capaz de gerenciar suas emoções para fazer melhores escolhas. Você gerencia suas emoções para deixar de ter atitudes impulsivas e fazer escolhas conscientes, pausando antes de reagir.

#3 Motivação: ter clareza dos valores e fatores motivacionais que orientam suas escolhas. Alinhamento dos seus interesses e a resiliência para superar obstáculos, compreendendo uma visão de futuro abundante.

#4 Empatia: capacidade de compreender a emoção do outro, saber ouvir colocando-se no lugar dele. Descobrindo similaridades para se conectar e ser capaz de oferecer respeito e bondade.

#5 Competências sociais: sua habilidade em se adaptar, trabalhar e colaborar  com diferentes profissionais, principalmente em posições de liderança. Ao liderar com compaixão, você une todas as quatro dimensões da inteligência emocional e aplica para estar a serviço aos outros.

Quais os benefícios em desenvolver a inteligência emocional?

A Global Trend 2019, reportam que “soft skills” são mais importantes para uma melhor performance no ambiente de trabalho.

Daniel Goleman fez uma pesquisa que mostrou que o Q.I. dos líderes não era a principal característica que os faziam ser bem avaliados por seus colegas. A boa avaliação dependia mais de suas habilidades socioemocionais e de desenvolver a inteligência emocional. Você pode assisti-lo comentando os resultados da pesquisa abaixo (em inglês).

Como treinar a inteligência emocional?

É possível desenvolver a Inteligência Emocional através de treino mental. Treine sua atenção através de práticas de mindfulness para focar no momento presente e observar a sua autoconsciência. Com isso você se tornará uma pessoa com habilidades socioemocionais bem desenvolvidas.

Existe a neuroplasticidade, que é a capacidade do sistema neural do cérebro de mudar, moldar-se e adaptar-se em resposta à experiência e ao estímulo que lhe é oferecido.

A plasticidade acontece quando novas memórias se formam ou quando se aprende coisas novas no dia a dia. Felizmente, cientistas comprovam que independente da idade, o cérebro é capaz mudar sua estrutura de acordo com o estímulo que oferecido.

Portanto, se você oferecer estímulos de atenção plena para ativar seu sistema neural regulatório, responsável pelas suas emoções, você será capaz de treinar seus músculos mentais para ter mais inteligência emocional.

Muitas pessoas pensam que o cérebro para de se desenvolver quando elas param de crescer. No entanto estudos têm provado que o cérebro é maleável e que é possível intencionalmente alterar a estrutura e função cerebral com o treinamento da atenção plena e meditação constante.

Um importante estudo, publicado no artigo da revista Proceedings Of The National Academy Of Sciences conduzido por Yi-Yuan Tang, Ph.D e professor na Universidade de Tecnologia do Texas, descobriu que a meditação de curto prazo induz mudanças na substância da massa cinzenta cerebral que se forma no córtex pré-frontal após 11 horas de meditação integrativa de treinamento corpo-mente.

Por que acreditar no poder da inteligência emocional?

Muitas pessoas pensam que o nosso cérebro para de se desenvolver quando paramos de crescer. No entanto estudos neurocientistas têm provado que o nosso cérebro é maleável e podemos intencionalmente alterar a estrutura e função do nosso cérebro com o treinamento da atenção plena.

Um importante foi um estudo, publicado no artigo da PNS conduzido por Tang Y-Y, et al em 2010, e descobriu que a meditação de curto prazo induz mudanças na substância da massa cinzenta que se forma no córtex pré frontal após 11 horas de meditação integrativa de treinamento corpo-mente.

Essa percepção é possível porque, de acordo com Martin Lindquist, o neurocientista da Kan Academy tem usado o FMRI, uma técnica não invasiva para estudar o cérebro, medir o volume cerebral e as atividades funcionais durante as práticas de meditação.

Qual o primeiro passo?

O primeiro passo é ter a consciência de que viver no “piloto automático” é natural. É normal estar sempre distraído, julgando, com atitudes reativas, reclamando e raramente no momento presente.

Nossa mente é extremamente ativa e está sempre fazendo escolhas de modo automático, com informações baseadas em crenças do passado ou projetando o futuro.

Segundo um estudo publicado em 2010 na revista American Association for the Advancement of Science, a mente humana gasta, em média, 47% do tempo divagando. Porém, a mente que divaga é uma mente infeliz, não é capaz de focar, não é capaz de persistir em seus objetivos, não é capaz de observar seus recursos internos e tem baixa resiliência.

Mindfulness: a ferramenta estrutural da inteligência emocional

É possível mudar esse cenário e fazer totalmente diferente. Você pode treinar atenção plena para obter clareza mental através da prática de mindfulness.

A primeira etapa para clareza mental é sair do modo “piloto automático” e entrar no “modo consciente”. Viktor Frankl, austríaco que sobreviveu ao holocausto, também fundador da da logotherapy (terapia da vida) diz: “Entre o estímulo e a resposta existe um espaço vazio. Nesse espaço reside a nossa liberdade e o poder de escolher nossa resposta. Em nossa resposta reside o nosso crescimento e a nossa felicidade”.

Quando você insere a prática de mindfulness na sua vida, é oferecido o treino mental necessário para regular o sistema neural central para ser capaz de:

  • pausar antes de reagir,
  • reduzir o stress, a ansiedade
  • fazer melhores escolhas
  • tomar decisões mais assertivas
  • ter mais qualidade de vida

O mindfulness pode ser praticado através de meditação, a observação da sua respiração, do seu corpo e das suas emoções. Sua consciência pode trazer uma nova postura corporativa,  autoconfiança e respeito para consigo próprio sempre que possível.

Para praticar atenção plena, apenas preste atenção à sua respiração, ao seu corpo, sua mente e ao ambiente com bondade e curiosidade, apenas observe com gentileza o seu momento presente.

A escritora Amy Cuddy, autora do livro Presença fala neste TED sobre a importância da atenção plena para a sua consciência corporal.

Exercício de escrita reflexiva

Agora, após assistir ao vídeo, que tal responder a essas duas perguntas através de uma escrita reflexiva?

#1 – Sem fazer nenhum ajuste de postura, apenas com uma auto-observação de si próprio: o que você observa no seu corpo, na sua postura e como você tem se apresentado em seu ambiente de trabalho? Descreva, da cabeça aos pés, como você normalmente se posiciona, se senta, caminha. Escreva sem filtro.

#2 – Agora descreva como você se sente nessa postura. Quais os pensamentos que surgem dessa autoavaliação? Como você descreveria a sua presença, a imagem que você transmite neste momento?

Se quiser, compartilhe suas respostas ou os principais insights dessa atividade aqui comigo nos comentários, vou adorar saber como você se sentiu depois de fazer a escrita reflexiva!

Treinamento gratuito para iniciar sua transição de carreira! Acesse agora!

Gostou? Então comente, compartilhe e ative as notificações clicando no sininho ali no canto para receber novos textos em primeira mão no seu e-mail. Você também pode fazer parte da nossa lista VIP do WhatsApp! Mande “Sou VIP” para o número +55 11 99819-2758 e tenha no seu celular as novidades do TGI Today!

Hugs & Kisses

Ligia Costa

Atualizado em

Comentários


Lígia Costa é empresária e especialista em planejamento.

LIGIA COSTA

Sou formada em Marketing pela Universidade Mackenzie, pós-graduada em Gestão Organizacional e em Relações Públicas pela Universidade de São Paulo (USP).

Saiba mais

Você está aqui porque acredita que hoje é o grande dia


É novo por aqui?

Faça parte do TGI Today