Dizer não: o mundo precisa de mais negativas

Por que dizer não é tão desafiador? Como dizer não aos outros sem magoá-los? Por que nos preocupamos mais em respeitar o outro do que a nós próprios?

Você, assim como eu, já jogou muito TETRIS. Outro dia recebi pelo WhatsApp a seguinte mensagem: “Quando você tenta se encaixar, você desaparece”. Incrível, esse foi o insight que eu precisava para escrever este texto.

Em uma noite fria, junto com algumas amigas, falávamos sobre a nossa dificuldade em dizer não. O quanto os outros invadem nossos espaços e com isso faz com que perdamos nosso poder pessoal. Nos sentimos fragilizados e sem energia, até mesmo tristes por não conseguirmos delimitar aquela barreira que precisaria ser colocada.

Separei 3 dicas super práticas para você começar a dizer não sem sentir culpa! Dê play no vídeo e comece hoje a abrir espaço para novas oportunidades!

Qual o limite da permissividade?

Vivemos tentando nos encaixar em padrões, em estereótipos, em pensamentos viciados e esquecemos de cultivar nossa própria personalidade. Mas chega um certo momento em que tudo isso torna-se insustentável!

O medo do julgamento do outro, o medo de sermos excluídos, o medo de não agradarmos, o medo de não sermos aceitos, o medo de falarem mal da gente… Enfim: o medo do não pertencimento.

O medo nos torna permissíveis. O medo nos paralisa e sem perceber, mais uma vez, dissemos sim querendo ter dito não!

O limite da permissividade é individual e deve estar totalmente de acordo com os seus sentimentos. Observe e coloque limites sempre que perceber um desconforto.

Preste atenção na sua intuição (aquele primeiro pensamento, a reação instintiva que você teve) nas sensações físicas: o coração que dispara, o nó na garganta, a mão gelada, o suor, as expressões faciais… Perceba que se algo diferente aconteceu, alguma coisa não está certa.

Este é o seu limite. Nesta hora você deve dizer não! Cuidado para que o medo em assumir a sua própria verdade não faça de você mais uma peça do tetris, que desaparece ao encaixar-se perfeitamente em todas as outras.

Dizer sim pode levá-lo ao fracasso!

Dizer sim não fará de você mais legal, mais popular, mais aceito ou mais bem sucedido. Pelo contrário, você continuará sendo julgado, comparado e falado. Como disse Einstein em sua teoria da relatividade: tudo depende do ponto de referência.

Este, sim, nos enfraquece, nos distancia de nós mesmos, das nossas verdades, das nossas crenças, da nossa missão, das nossas características. Ele pode nos deixar vulnerável, pois assinamos um contrato de desacordo com nós mesmos.

O sim e o não são subjetivos, assim como a beleza e o gosto são subjetivos. E se tudo depende do ponto de referência, neste caso, a referencia é apenas você, seu caráter, sua autenticidade e o resgate do seu poder pessoal. Pratique o não e comece agora!

Dizer não aos outros é resgatar do fundo do seu coração aquilo que você acredita, o seu brilho, a sua ética e os seus valores. Se alguém não gostar, tudo bem, somos todos seres humanos em constante evolução e cada um interpretará da maneira que melhor lhe convier.

A quem devo dizer não?

Diga não aos seus filhos. Eles vão entender que existem limites a serem respeitados. Explique apenas para vocês mesmo o que é certo e errado, não aos outros.

Diga não aos seus amigos. Eles vão admirá-lo pela sua clareza. Mas isto não significa que você estará livre de julgamentos.

Diga não ao seu chefe. Ele o respeitará pelos seus valores.

Diga não aos seus pais. Eles talvez não entendam, mas vão respeitar que você cresceu e assumiu sua personalidade adulta.

Diga não aos seus funcionários. Eles vão descobrir que existem regras e processos a serem cumpridos.

Diga não aos seus clientes. Eles vão descobrir que você é ético e profissional e que não faz qualquer coisa por dinheiro. 

Diga não à corrupção. Aos poucos, a ética.

Diga não ao seu ego. Ele vai brigar, espernear, mas, aos poucos, ele vai ajudar você a entender que não é o dono da verdade.

Diga não ao seu próprio julgamento para com os outros, só assim você terá compaixão pelo próximo.

Descubra que o não é a palavra mais libertadora do mundo!

Equilíbrio é a chave

E o que fazer quando sentimos uma vontade absurda em dizer não e impor limites ao que nos sufocam? Faça o que a sua intuição disser!

E aprender a dar negativas não significa que você nunca mais poderá dizer que sim. Como no filme “Sim, senhor”, a mensagem mais importante aprendida pelo personagem de Jim Carrey é que é necessário aprender a filtrar as oportunidades e saber o que priorizar em determinado momento!

E você? Já disse algum não hoje? Conta para mim nos comentários, vou adorar ler a sua história!


Gostou? Então comente, compartilhe e ative as notificações clicando no sininho ali no canto para receber novos textos em primeira mão no seu e-mail. Você também pode fazer parte da nossa lista VIP do WhatsApp! Mande “Sou VIP” para o número +55 11 95074-3084 e tenha no seu celular as novidades do TGI Today!

 

HUGS & KISSES

Ligia Costa

Atualizado em

Comentários

Faça parte do TGI Today