Empreendedorismo e maternidade: será que dá para ser bem sucedida nas duas coisas?

Empreendedorismo e maternidade é um dos assuntos sobre os quais mais gosto de escrever. Tenho muita experiência pessoal nesse tema, né? E este ano decidi usar todo esse conhecimento de campo para ajudar quem ainda está em dúvida se começa ou não essa jornada.

Sempre que vejo textos, campanhas e comentários sobre o Dia das Mães, a maternidade é sempre mostrada através dos olhos dos filhos. Um exemplo disso é o estilo de peça publicitária que já virou um clássico da data: filhos presenteando suas mães com um produto de determinada marca.

É claro que toda a mãe merece ser lembrada e valorizada – e não somente neste dia! -, mas o que sempre me fez falta foi a possibilidade de ver essa data tão especial através dos olhos das próprias mães, que, antes de tudo, são também mulheres.

A palavra “mãe” não está mais associada exclusivamente a uma figura feminina que dedica todo o seu tempo para cuidar dos filhos e da casa. Hoje vemos diferentes perfis de mulheres que conciliam outros aspectos de suas vidas ao trabalho informal da maternidade.

O que é ser mãe nos dias de hoje?

Luciana Bogiatzian, arquiteta e mãe da Lori e da Lena

Eu mesma tive que me desdobrar e fazer a rotina dar certo, harmonizando o mundo corporativo com a maternidade. E isso por alguns anos antes de descobrir o empreendedorismo e começar a procurar um trabalho que me desse um novo propósito.

Ser mãe não significa mais abdicar integralmente de suas aspirações em prol dos filhos. Se há uma coisa que os anos de maternidade já me ensinaram é que é possível, sim, ser uma mãe presente e dedicada sem deixar de lado seus sonhos e vontades pessoais. Ainda que nada seja perfeito e que sacrifícios precisem ser feitos.

Pensando nisso, resolvi fazer uma série especial de textos neste mês de maio. Uma homenagem a todas as mães, mas com um destaque especial para aquelas que desejam recomeçar. Recolocar-se no mercado de trabalho e empreender, mas sem deixar de lado a criação dos filhos.

Para este primeiro post, dei voz a algumas das muitas mulheres que foram bem sucedidas nessa tarefa árdua. Mas compensatória, de criar os filhos sem parar de trabalhar. Ou que decidiram começar algo novo e vivenciar o empreendedorismo e a maternidade em conjunto depois de serem mães.

Os desafios em conciliar empreendedorismo e maternidade

Daniele Rampasso, arquiteta, “mãe de dois filhos lindos”

Para a arquiteta Luciana Bogiatzian, o momento mais desafiador da maternidade foi retomar o ritmo. “Aceitar que, após minha filha mais nova começar a andar, eu TINHA que retomar minha vida. Foi muito difícil  encarar que eu estava parada há anos. Que tinha que voltar para o mercado, colocar a pequena na escola, voltar a estudar…”, conta ela.

As arquitetas Sabrina Tironi e Daniele Rampasso e a administradora Patrizia Giongo explicam que o fato de o dia parecer não ter horas suficientes para dar conta de tudo também é um dos principais vilões para as mulheres que querem vivenciar empreendedorismo e maternidade conjuntamente. Quando perguntei sobre a maior dificuldade que enfrentaram nessa empreitada, responderam de pronto “a administração e falta de tempo, sem dúvidas!”.

Para Patrizia, sair para trabalhar era motivo de desânimo, já que no começo da maternidade, ela ainda não havia organizado seu tempo. “Toda vez que precisava deixar a família era tomada de uma tristeza enorme. Achei que tinha que mudar”, confessa ela.

Reorganizar a rotina da vida pré-maternidade com a chegada do bebê foi o mais complicado para a pediatra Flávia Oliveira. “Para mim, o mais difícil foi conciliar meus plantões noturnos e ter que deixar meus pequenos. Depois que o segundo nasceu essa sensação piorou”, conta ela.

O medo de não ser presente e atenciosa o suficiente para os filhos é outro dos obstáculos que existem quando empreendedorismo e maternidade andam juntos. “O grande desafio era dar atenção ao meu filho e conciliar a carreira e meu desenvolvimento pessoal, pois quando ele tinha dois anos, eu estava cursando um MBA”, revela a empresária Fátima Sousa.

Motivação é essencial

Patrizia, administradora, mãe de dois filhos

Eu, mais do que ninguém, sei que qualquer coisa, desde tarefas até um jantar, quando feita sem motivação, tem altas chances de dar errado. Não ver propósito e significado naquilo que você está fazendo é um grande desmotivador e pode acabar comprometendo a qualidade da sua vida.

Todo mundo tem momentos em que desistir é tudo o que se tem na cabeça, mas é importante encontrar algo que sirva como impulso para que você não deixe o desânimo momentâneo te deixar desistir! E na empreitada de conciliar empreendedorismo e maternidade não é diferente.

Família e satisfação pessoal

O apoio do parceiro e saber que não estavam sozinhas foi fundamental tanto para Luciana, quanto para a Fátima, quando perguntei sua principal fonte de motivação para superar os dias mais difíceis e cansativos. “Meu marido é um grande parceiro. Sem ele jamais teria conseguido crescer profissionalmente”, diz Fátima; “Meu marido com toda certeza!!! Ele é essencial em todas as minhas decisões e me apoia muito”, explica Luciana.

Enxergar na felicidade da família é um estímulo que eu compartilho com a Patrizia, que encontrou o remédio para o desânimo na unidade entre sua família. “O meu propósito de vida desde pequena era ter uma família bacana e ser FELIZ! Nunca almejei grandes cargos, apenas o necessário para que eu pudesse alcançar a felicidade”, explica ela.

Mas dedicar-se a outras tarefas e sentir-se satisfeita consigo mesma ajudando outras pessoas com suas habilidades e trabalho é outro dos principais motivadores, segundo Daniele e Sabrina.

“Nunca me imaginei sendo exclusivamente mãe. O trabalho pode ser cansativo, mas me faz feliz”, explica Daniele.”Sou uma pessoa multitarefas e gosto de ser assim! Não tenho medo de dizer (principalmente para mim mesma) que ser mãe não me basta. Eu preciso produzir, ter o outro lado para me ocupar.”, conta Sabrina.

Tirar o estímulo de si própria também é muito comum em momentos de dificuldade e foi o que Flávia fez. “Meu marido sempre me apoia, mas a motivação real sempre veio de dentro de mim”, explica ela.

 

“Acho que não me sentiria completa sem exercer qualquer atividade além da função mãe. Minha fonte de motivação: satisfação em trabalhar e com meu trabalho, ajudar pessoas”.

– Daniele Rampasso, arquiteta

Não desista!

Sabrina, arquiteta, com seus dois filhos

Por mais que pareça difícil, é possível ser uma ótima mãe e ter sucesso na carreira ao mesmo tempo. Ainda que não sem deixar algumas coisas de lado e reconsiderar outras. Para mim, saber que, ao chegar em casa no final do dia, teria minhas filhas e meu marido esperando por mim sempre foi a melhor maneira de me manter firme em minhas metas e objetivos!

Você que é mãe e não deixou de trabalhar, tem alguma história de superação para compartilhar comigo? Deixe para mim nos comentários, vou adorar lê-la! Feliz Dia das Mães! 

 

 

*Agradecimentos especiais e uma homenagem do Thank God It’s Today às mamães entrevistadas: Daniele Rampasso, Fátima Sousa, Flávia Oliveira (foto de capa), Luciana Bogiatzian, Patrizia Giongo e Sabrina Tironi


Gostou? Então comente, compartilhe e ative as notificações clicando no sininho ali no canto para receber novos textos em primeira mão no seu e-mail. Você também pode fazer parte da nossa lista VIP do WhatsApp! Mande “Sou VIP” para o número +55 11 95074-3084 e tenha no seu celular as novidades do TGI Today! 

 

HUGS & KISSES

Ligia Costa

Atualizado em

Comentários

Faça parte do TGI Today