Por que não termino o que começo? 3 dicas para mudar

“Por que não termino o que começo?”. Aposto que você já se fez essa pergunta ao menos algumas vezes ao longo da vida. Colocar a responsabilidade no nosso entorno (trabalho, família e outras n dificuldades) é comum, mas e se eu te disser que o maior responsável por tudo isso pode ser você?

Hoje, nossa maior fortaleza é assumir o poder pessoal, sermos valorizados por aquilo de melhor que temos e o que podemos contribuir não apenas para crescermos individualmente, mas para impactar o nosso entorno.

Assumir esse poder e essa responsabilidade por deixar tarefas e projetos esquecidos na gaveta e no papel é o primeiro passo para mudar essa atitude. Ao invés de se perguntar “por que não termino o que começo?”, que tal observar a sua rotina e ver que hábitos estão bloqueando o seu avanço?

É claro que cada pessoa é um indivíduo único, com habilidades ímpares que podem servir a variados propósitos. Mas na minha jornada até aqui, tive a oportunidade de perceber que 3 obstáculos são comuns para a grande maioria das pessoas que tem dificuldades em terminar o que começam.

Por isso, vou dividir com você os 3 obstáculos que podem estar impedindo você de concluir o aquilo que você começa. E o pior, atrapalhando você de ser o protagonista da sua vida e da sua carreira.

A importância da presença

Antes de falar desses 3 obstáculos, uma provocação: será que a presença (ou a falta dela) não é o que está bloqueando o seu caminho e impedindo-o de dar o próximo passo?

Sabe aquela história de nunca estar onde gostaria de estar de verdade? De achar que o seu lugar atual nunca será tão bom quanto o ideal que existe na sua cabeça? Essa falta de presença no hoje pode ser o grande responsável por fazer você boicotar a si mesmo e aos seus projetos, ainda que inconscientemente.

Em seu livro Presence, Amy Guddy diz: “If you do not trust yourself, how can others trust you?” que fica, em tradução livre: “se você não acredita em si mesmo, quem acreditará?”.

Presença é assumir o seu poder pessoal, assumindo a sua história, fazendo as conexões entre o passado, presente e futuro de forma coerente, para que você acredite em si próprio e saiba expressar quem você é de forma autêntica.

Estar presente é seguir em frente com os seus objetivos independente da falta de tempo, de não ter apoio dos outros, não se sentir pronto ou achar que o seu objetivo não é assim tão importante.

Quando você consegue passar a ser observador da própria história e viver no momento presente com a consciência em si próprio, nos seus valores e preocupado em crescer e evoluir para a sua própria satisfação, você deixa de lado aquilo que não consegue controlar.

É muito importante entender o fator motivacional naquilo que você realmente almeja. Também olhar o medo como um aliado. Ele existe, mas não pode ser maior do que sua vontade de finalizar aquilo que você começou. Entenda que pode dar certo ou errado, o que importa é o aprendizado. Busque diminuir a exigência consigo próprio.


Leia mais

5 dicas para você resgatar sua liderança e poder pessoal

Mindfulness e inteligência emocional para executivos


Por que não termino o que começo? Os 3 grandes obstáculos

Agora que você já entendeu a importância de praticar a presença como um hábito na sua vida, conseguirá enxergar com outros olhos essas 3 coisas que listei e o por que de elas serem tão prejudiciais. Especialmente se você quer concluir mais coisas e evitar os projetos e tarefas amontoados e inacabados.

Estes são os 3 principais obstáculos que impedem você de estar no momento presente e cumprir com o seu objetivo.

Confira no vídeo abaixo quais são os 3 principais obstáculos! Observe-os, memorize e sempre que você perceber que eles estão te bloqueando, você a partir de agora terá a consciência e poderá fugir deles.


1) Competição

Vivemos competindo, querendo ser melhores do que os outros. Chegar em primeiro na corrida para vencer o adversário, ser promovido antes que o meu colega… Enfim, vivemos competindo com os outros. A competição é saudável, mas, principalmente quando é de você para você mesmo.

Por que é prejudicial: cada pessoa é diferente, tem ritmos e momentos diferentes. Por isso, ao competir com aquele colega que está há mais tempo do que você na empresa e já conhece melhor a dinâmica de trabalho não traz nenhum benefício. Isso porque a largada dele está há alguns metros a frente da sua. Busque competir apenas com você mesmo e testar os seus limites, evitando olhar para o outro com olhos de competidor.

2) Comparação

Estamos o tempo todo fazendo comparações. Fulano trabalha menos do que eu e ganha mais. Ciclano vive de férias, a família do outro não tem tantos problemas como a minha. O chefe dele é mais legal do que o meu… A comparação vive todos os dias em nossa mente.

Por que é prejudicial: o que é sucesso e lucro para você, pode não ser para a outra pessoa! A sua forma de trabalhar não é melhor nem pior do que a do seu colega! Comparar-se com o outro faz com que criemos padrões inatingíveis. Isso porque estamos nos baseando no modelo do outro e não no nosso.

3) Reclamação

Por que o país está na situação que está? Por que meu amigo foi demitido? Por que não ganho mais? Por que não consigo mudar de emprego? Por que não tive reajuste salarial? Por que tem trânsito, choveu, fez sol, enfim… Milhares de reclamações nos colocam no papel de vítima.

Por que é prejudicial: reclamar é uma das maneiras que temos de externar nossas frustrações com a vida e pode ser uma válvula de escape eficiente. Mas o que acontece muito é que a ativação dessa válvula se torna tão constante que nos esquecemos que sempre podemos fazer algo para mudar a situação. Diminua as reclamações e aumente as ações de mudança!

 

Quando estamos reclamando, competindo ou nos comparando, o nosso foco está no outro e não na nossa realidade. Quando passamos a nos observarmos mais, a nos responsabilizamos mais pelas nossas atitudes, olhamos mais para nós, nossos desejos e necessidades e menos para os outros. Pensar em tudo isso vai fazer com que você tenha mais facilidade em responder a pergunta: “por que não termino o que começo?”.

O que você precisa fazer hoje para ser responsável e colocar em ação aquele projeto que você deixou na gaveta? Como conseguir entender e responder à pergunta”por que não termino o que começo”? Deixe seu comentário aqui embaixo para mim!

Gostou? Então comente, compartilhe e ative as notificações clicando no sininho ali no canto para receber novos textos em primeira mão no seu e-mail. Você também pode fazer parte da nossa lista VIP do WhatsApp! Mande “Sou VIP” para o número +55 11 95074-3084 e tenha no seu celular as novidades do TGI Today!

HUGS & KISSES

Ligia Costa

Atualizado em

Comentários


Lígia Costa é empresária e especialista em planejamento.

LIGIA COSTA

Sou formada em Marketing pela Universidade Mackenzie, pós-graduada em Gestão Organizacional e em Relações Públicas pela Universidade de São Paulo (USP).

Saiba mais

Você está aqui porque acredita que hoje é o grande dia


É novo por aqui?

Faça parte do TGI Today