Como me planejar para uma transição de carreira: tudo que você deve saber

A mudança é quase sempre uma experiência que deixa quase todo mundo com um pé atrás, quando não os dois, né? A gente tem muito receio daquilo que é diferente, que fica fora da nossa zona de conforto. E não é diferente quando o assunto é transição de carreira.

O ser humano é um ser de hábitos e rotinas, isso é um fato. E por isso é tão difícil perceber que nos tornamos acomodados em nosso dia a dia. E isso acontece mesmo quando não estamos 100% satisfeitos com o que fazemos todos os dias.

Mudar de emprego, então! Quer coisa mais assustadora do que isso? Ter que se adaptar a um novo ambiente de trabalho, novas pessoas, nova dinâmica profissional… Só de pensar nisso você já tem calafrios? Pois é, você não é o único!

Mas e se eu te dissesse que essa mudança de carreira está cada vez mais frequente? E que buscar um novo emprego, que permita ter outras prioridades além da profissão, é uma nova tendência? Estamos falando de transição de carreira.

Se você quer saber mais sobre como fazer esse processo de mudança profissional, já está realizando algum tipo de transição ou simplesmente tem curiosidade sobre o tema, esse é o lugar certo!

Nesse post você vai encontrar tudo o que você precisa saber sobre transição de carreira – e um pouco mais – para começar ou encaminhar a sua nova jornada profissional do melhor jeito: o seu. Vamos lá?

Por que mudar de carreira?

Uma das dúvidas que mais aparecem quando o assunto é transição de carreira é a motivação. Afinal, o que pode levar uma pessoa com emprego estável a deixar tudo isso para trás e começar algo novo?

Bem, colocando assim pode parecer mesmo algo sem sentido, mas não quando vemos os fatos um pouco mais de perto. Uma pesquisa recente realizada pelo Instituto Locomotiva apontou que mais de 50% dos trabalhadores brasileiros não está feliz com o seu cargo atual.

Foi-se o tempo em que os empregos eram feitos apenas de apertar botões ou gerenciar crises todos os dias. Este tipo de cargo está sendo substituído por máquinas com mais rapidez a cada ano.

Por isso, o trabalho humano está ganhando um novo significado. Cargos que precisem de criatividade, perspicácia e solução inteligente de problemas ganham cada vez mais espaço justamente por só poderem ser realizados com maestria pela mente humana.

Não admira que esse número de insatisfação profissional seja tão alto. Ainda não são todas as empresas que estão se adaptando a essa nova onda no universo profissional. Mas essa já é uma tendência forte o bastante para fazer indivíduos repensarem sua forma de viver.

Espaços de coworking com filosofia humanizada, horários flexíveis e home office são apenas a ponta do iceberg que está mostrando às pessoas que existe um jeito melhor de viver a experiência do trabalho.

Por isso, o número de pessoas buscando transformar um hobby em modelo de negócio ou procurar uma posição no mercado que seja mais condizente com o seu estilo de vida está crescendo – e rápido.

Propósito e valores

A busca por um cargo, profissão ou posição que reflita aquilo em que se acredita é um dos principais motivadores quando o assunto é a transição de carreira. E por que isso acontece? Vejamos alguns motivos:

1) Se sentir pouco ou nada valorizado no ambiente de trabalho atual;

2) Não sentir que a sua função tem qualquer impacto positivo sobre o seu entorno;

3) Se adequar pouco ou nada ao ambiente corporativo tradicional e às suas limitações;

4) Não concordar com os valores da empresa que está representando;

etc..

Estes são apenas alguns dos principais motivos relacionados ao propósito que levam alguém a desistir de um posto de trabalho atual. Mas existem outros pontos que, com certeza, impulsionaram essa reinvenção do modus operandi do trabalho.

Crise e desemprego

Em julho de 2018, o número de pessoas desempregadas no Brasil chegou aos 13 milhões. Muitos usaram a situação adversa para empreenderem, buscarem uma forma alternativa de renda e fizeram uma transição de carreira que, inicialmente, pode até ter sido involuntária.

Há casos onde a demissão pode até mesmo servir como um momento de pausa e de reflexão sobre o que se quer e o que se busca da vida. Foi o que aconteceu comigo. E tenho certeza de que essa é a realidade de muitos brasileiros que, assim como eu, se viram forçados para fora da sua zona de conforto profissional.

Mas longe de encarar essa situação como algo ruim! Muito pelo contrário, é possível ver nessa mudança brusca uma oportunidade surgir. A chance de ser mais feliz com o que faz, de pagar as contas com algo em que acredita inteiramente!

Aumento da expectativa de vida

Foi-se o tempo no qual você teria apenas um único trabalho e emprego a vida toda. É comum ouvirmos no século XXI que o homo sapiens que viverão 100 anos já nasceram.

Segundo IBGE 2010, O Brasil terá em 2050 mais de 260 milhões de habitantes com idade média de 40 anos e expectativa de 81,3 anos, sendo

Dos primatas, homens da caverna ao homo sapiens, o sentido da vida girava em torno da sobrevivência, pois o trabalho significava alimentação, e o ciclo da vida durava 3 ou 4 décadas.

Com a evolução do ser humano e o desejo de desfrutar  do tempo para além do trabalho produtivo, nasce também a necessidade de um sentido maior da vida, da busca por um equilíbrio emocional, físico, mental e principalmente o balanço entre a atividade profissional e pessoal varia de acordo com as diferentes etapas da vida.

Que tal entender um pouco mais do que é a transição de carreira antes de prosseguir?

O que é a transição de carreira?

A definição é simples, está no próprio conjunto de palavras. Transicionar, mudar, ir de um lugar ao outro, deixar o que é conhecido de lado para desbravar algo novo.

Carreira ou profissão não são mais sinônimos de algo monótono, chato e cansativo. Trabalhar pode ser algo que lhe traz satisfação, que desperta a vontade de acordar todo dia e começar as tarefas.

Transição de carreira é um processo que faz parte de uma boa gestão profissional

Entender o conceito é a parte mais simples. O que pode ficar um pouco mais complexo é descobrir como o processo funciona para você.

Cada indivíduo é único, tem preferências, obrigações e responsabilidades diferentes. Por isso, se você está buscando uma fórmula mágica para fazer uma transição de carreira bem sucedida, pare por aqui. Não existe uma única forma de mudar de carreira.

– Muitas vezes esse caminho pode não ser linear;

– É muito comum ter que voltar dois ou três passos para conseguir avançar um;

– Pode acontecer de velhos hábitos acompanharem você e ser necessário lidar com eles antes de conseguir uma mudança efetiva.

Existem obstáculos, sim, na transição de carreira. Mas o que na vida não possui empecilhos? Mesmo nas provas livres de atletismo, o que fica no caminho não são as barreiras, mas o próprio condicionamento físico do atleta.

É importante que fique claro que a mudança de carreira deve ser encarada como parte de uma jornada profissional bem gerenciada. É claro que existem fatores externos que influenciam a decisão, como a crise ou uma demissão.

Mas se você está em um emprego estável que não lhe traz mais satisfação, por que esperar que essa bolha de descontentamento estoure? É preciso coragem para mudar quando está tudo bem do lado de fora, mas algo parece desconexo do lado de dentro.


Leia mais:

Carreira na maturidade: existe idade certa para empreender?

5 atitudes para você evitar cair na inércia profissional


Transição nem sempre é demissão

É claro que o pensamento mais comum quando falamos em transição de carreira está associado a uma imagem de ruptura com o seu cargo ou profissão atual. Mas nem sempre

É muito comum que, na busca por uma vida com mais propósito e significado, profissionais conciliem mais de uma carreira ao mesmo tempo. É uma opção tão válida como optar por só continuar no cargo atual ou a nova profissão.

Mas se você se considera um profissional multifacetado e gosta de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo, esse modelo pode funcionar muito bem!

Só não esqueça que, para dar certo sem que você fique sobrecarregado, é necessário planejamento, estratégia e transparência.

Organize seus horários e sua agenda para que nenhum dos seus compromissos e responsabilidades se choquem e tornem-se empecilhos para o outro.

E mesmo que nem sempre todas as empresas aceitem bem profissões paralelas, sempre que possível, seja honesto. Explique que você possui outras demandas e que não poderá mais fazer tantas horas extras como antes.

Ou que participar de um happy hour que vai até tarde já não é possível porque seus horários já não são os mesmos.

Por mais que a escolha de fazer uma mudança ou upgrade de carreira seja pessoal, é essencial considerar como essa decisão irá impactar o seu entorno. Somente assim será possível aprender como lidar com essas novas possibilidades da melhor maneira.

Transição de carreira é para mim?

Muita gente não acredita muito na existência de um momento ideal para cada decisão ou atitude. Normalmente pessoas com esse perfil preferem viver o momento e também as consequências dele.

O imediatismo não é sempre uma postura negativa. Ser espontâneo e aprender a vivenciar as coisas boas de cada dia é um fator crucial na busca por uma vida plena. Entretanto, o planejamento e o autoconhecimento são extremamente necessários quando desejamos dar um grande – e novo – passo.

Se você ainda não conhece muito sobre como aplicar e desenvolver o autoconhecimento, dê o play e comece agora a entender mais sobre quem você é!

Como saber, então, se fazer a transição de carreira é o passo ideal para o seu momento hoje? Por ser uma decisão que envolve todos os aspectos da sua vida – pessoal, profissional e emocional – não deve ser tomada sem ponderar e pesar os prós e contras.

Para dar uma mão, abaixo você vai ver duas listas de situações. Uma delas com situações que normalmente indicam que é a hora de mudar de carreira. A outra com indicadores de que agora pode não ser o momento ideal ainda.

Está na hora de transicionar!

Algumas situações e sentimentos que são comuns na sua rotina podem servir de indicadores de que é um momento oportuno para uma transição de carreira.

– Você sente que não pode mais crescer no seu trabalho atual;

– Os motivos pelos quais você se convence a continuar no emprego se resumem quase todos à questão financeira e/ou material;

– É constante a sensação de não fazer a diferença com a sua profissão;

– Você tem um planejamento financeiro e poderia arcar com seu custo de vida básico por um período razoável sem o salário;

– O cansaço e o estresse estão presentes e afetam a sua rotina mais do que seria aceitável;

– Você tem ideias de profissões ou empreendimentos que lhe trariam mais satisfação e eles não tem muito a ver com o que você faz hoje;

Ainda não é o momento certo

Essas outras situações ou sentimentos, por outro lado, podem ser fortes indicadores de que a ideia de uma transição de carreira ainda precise de um pouco mais de amadurecimento.

– Você ainda gosta muito do que faz hoje e, mesmo com as dificuldades, não se vê fazendo nada muito diferente;

– Os desconfortos que você sente no trabalho estão mais relacionados aos outros e não a você mesmo e ao seu propósito;

– Você sente que poderia estar mais bem planejado financeiramente do que está no momento;

– Ao pesar os prós e contras do seu emprego atual, são mais frequentes os aspectos positivos, que não estão unicamente relacionados ao salário;


Leia mais:

Dificuldades e gratificações em conciliar duas carreiras

4 passos para mudar a atuação profissional e ter mais propósito


“Mas, Ligia, e se eu me identificar com itens das duas listas?”

Como foi dito lá atrás, não existe um único caminho certo para realizar a sua transição de carreira. Você pode sentir falta de reconhecimento no trabalho, mas ainda não se sentir preparado financeiramente para deixá-lo de lado.

Ou então você pode ter mil ideias de empreendimentos que se enquadram no seu perfil profissional, mas ainda enxergar muitas possibilidades de crescimento no cargo que ocupa hoje.

Como sempre gosto de dizer: o que é certo é o que funciona para você. É importante, sim, levar em consideração esses e outros fatores que você sente que podem estar levando a uma transição de carreira.

Mas, no final, sentir que está pronto também deve ser um critério com peso considerável em sua decisão.

Como fazer minha transição de carreira?

Mudar radicalmente de profissão pode parecer muito assustador, mas com planejamento e pé no chão, você conseguirá ver que fazer transição de carreira não é nenhum bicho de sete cabeças!

Como acho que experiências e casos bem sucedidos são sempre a melhor forma de ilustrar um conceito, no vídeo abaixo você vai encontrar 8 coisas que eu gostaria de ter ouvido quando fiz a minha transição de carreira.

Saber delas antes com certeza teria facilitado o processo, então elas com certeza podem ter o poder de dar à sua mudança o gás que estava faltando! Aperte o play e se inscreva no nosso canal!

Por que fazer transição de carreira?

Helga Feres, 53 anos


Para a coach de emoções femininas, Helga Feres, de 53 anos, a melhor parte de não ter 
desistido dos seus sonhos e entrado no mundo do empreendedorismo é voltar a ser reconhecida. “A melhor parte é ter o reconhecimento de ser uma referência. Sem o empreendedorismo não teria dinamismo, seria só rotina”, explica ela.

 

Mauro Sato, 60 anos

 

Ver novos rostos e compartilhar novas e diferentes ideias é o que faz o empreendedor digital Mauro Sato, de 60 anos, ter certeza de que fez a escolha certa ao decidir fazer parte do universo digital. “A dinâmica dos novos e diferentes assuntos de todos os dias leva à necessidade da aquisição de novos aprendizados. Isso é um combustível para mim”, completa ele.

Como conciliar duas carreiras com Márcia Barros - TGI Today

Márcia Barros, fundadora do AstroCoaching


Transformar um hobby em business foi um dos motivos que levaram Márcia Barros a investir em um novo empreendimento. “Desta paixão criei um método único chamado AstroCoaching by MB, onde misturo astrologia e técnicas de coaching diferenciadas se complementam trazendo ao cliente resultados rápidos e mais eficazes”.

 

 

 

Shirley Nascimento, 61 anos


Já Shirley Nascimento, que, aos 61 anos, é consultora de TI e terapeuta, acredita que decidir mudar e fazer a transição de carreira deu a ela novas possibilidades que não existem no mercado formal para quem tem mais de 50 anos. “Sem o empreendedorismo ficaríamos à deriva”, afirma ela.

4 dicas para começar sua transição de carreira e ter sucesso

Colocar a mão na massa e ter algumas tarefas e hábitos práticos nos quais se apoiar é tão importante quanto entender os conceitos e conhecer a si mesmo.

Por isso, separei 4 dicas que você pode começar a colocar em prática hoje mesmo para aumentar as suas chances de fazer uma transição de carreira bem sucedida!

1) Faça networking

Networking vai muito além de quantas conexões você tem no LinkedIn. É importante que você saiba o que cada uma das pessoas ao seu redor tem de melhor profissionalmente. Assim, criar uma rede de divulgação e de apoio empreendedor fica mais fácil.

Faça com que as pessoas saibam, conheçam e acreditem no seu potencial como profissional para que a mesma validação se estenda aos novos caminhos que você decida seguir.

2) Entenda a fundo o seu fôlego financeiro

A importância de um planejamento financeiro apareceu brevemente nas listas lá atrás. Mas esse aspecto é tão fundamental que decidi falar um pouco mais sobre isso aqui.

Muita gente menospreza a importância de uma organização financeira sólida no momento de realizar uma transição de carreira e/ou começar um novo empreendimento. É essencial que você saiba os custos e gastos que essa nova empreitada pode ter, mas não só.

Você tem gastos e compromissos independentes desse novo empreendimento: contas da casa, despesas com os filhos e gastos pessoais. Tudo isso precisa ser contemplado no momento de decidir fazer uma transição de carreira.

Saiba realmente por quanto tempo você tem – financeiramente falando – para conquistar esse novo desafio na sua carreira. E tenha sempre um plano B e C para os cenários em que ele não dá certo.

Pensar na possibilidade do fracasso, diferentemente do que muitos dizem, não é um mau agouro. É estar preparado para a maior quantidade de possibilidades e saber a melhor forma de agir em cada uma delas. É importante prever a chance de não concretização para que se possa aprender com ela.


Leia mais:

Empreendedorismo com propósito: o guia completo

3 dicas para fazer sua transição de carreira sem frustração


3) Você é muito mais do que o seu cargo

No início pode ser difícil desapegar da sua antiga posição no mundo corporativo e tudo o que vinha com ela. Em especial o reconhecimento de colegas de profissão.

Esteja preparado para não receber mais tantas ligações, mensagens ou convites como antes. A ideia de que o seu valor profissional está sempre atrelado à empresa em que trabalha e ao cargo que ocupa ainda é muito presente nas empresas e em seus funcionários.

O seu valor é refletido no impacto positivo que o seu trabalho tem na vida das outras pessoas. O que realmente importa é que você saiba como lidar com isso. E não baseie o seu valor como profissional na maneira como os outros o enxergam.

4) Tenha um prazo limite

Por mais que eu acredite que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, isso não significa que eles não precisem ser recalibrados de vez em quando.

No mundo em que vivemos, a busca pelos nossos sonhos exige equilíbrio, planejamento e organização. E tudo bem se não deu certo na primeira, na segunda e até na terceira vez.

Mas é importante saber avaliar o que deu errado e seguir em frente mais preparado e forte.

Por isso, a minha recomendação é ter um prazo limite para que a sua transição de carreira deslanche. Você deve definir uma data. E também um marco que deve ser atingido antes desse prazo e que represente o sucesso da nova empreitada.

Não deixe de tentar. Mas saiba quando é o momento para fazer uma pausa, recarregar as energias, recalibrar os planos e tentar novamente.


Ufa! Espero que esse conteúdo seja tão valioso para você aplicá-lo quanto foi para mim produzi-lo!

Se quiser conteúdos semanais do TGI Today nas suas redes sociais, inscreva-se no nosso canal do YouTube! Ou envie “Sou VIP” para o nosso WhatsApp, no número +55 11 95074-3084 para fazer parte da nossa newsletter!

Hugs & Kisses

Ligia Costa

Atualizado em

Comentários


Lígia Costa é empresária e especialista em planejamento.

LIGIA COSTA

Sou formada em Marketing pela Universidade Mackenzie, pós-graduada em Gestão Organizacional e em Relações Públicas pela Universidade de São Paulo (USP).

Saiba mais

Você está aqui porque acredita que hoje é o grande dia


É novo por aqui?

Faça parte do TGI Today